Primeira usina solar brasileira terá sua capacidade dobrada em 2012.

Uma área de 12 mil metros quadrados ocupada por 4.680 painéis é a primeira usina de energia solar ligada ao Sistema Elétrico Nacional brasileiro — que concentra todas as fontes, como hidrelétrica, termelétrica e eólica e distribui no país inteiro. Inaugurada em 2011 em Tauá (CE), tem a capacidade de geração de energia de 1 MW, o que corresponde ao consumo de 1,5 mil residências. Mas, nos planos da empresa MPX, de Eike Batista, a Usina Solar Tauá poderá produzir, nos próximos anos, até 50 MW — marca alcançada por algumas das maiores instalações desse tipo já existentes nos EUA e na Europa. Para chegar lá, a empresa planeja uma ampliação gradual, por meio de parcerias e incentivos, mas não arrisca divulgar uma data.

“Ainda depende de condições de mercado, que permitam comercializar essa energia. Mas quando se percebe uma tendência de queda de preço e que vai ser um ativo importante dentro da matriz energética, é chegado o momento de decidir investir nisso ou não”, diz Maurício Moszkowicz, gerente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da MPX. O próximo passo é a duplicação da capacidade da usina, com a instalação de mais 6,9 mil painéis fotovoltaicos da GE em 2012, totalizando 11.580 módulos solares. A expansão para 5 MW já tem autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e licença da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará.

A cidade de Tauá foi escolhida por estar numa das áreas de maior incidência de sol. Segundo a Agência Internacional de Energia, a energia solar é a que mais cresce no mundo, a que reduz os custos mais rapidamente e uma aposta para uma matriz energética mais limpa nos próximos anos.

Fonte: Revista Galileu on-line.

Anúncios